TROVADOR DAS ALTEROSAS

PROSA E VERSO

E-books
"O PAPA RISOS" 01
Autoria: Trovador das Alterosas
Ano: 2008
Tamanho: 265 KB
Formato: PDF
Sinopse:
Subtítulo Três vidas desastradas de um Trovador Valdemiro Mendonça “O Trovador das Alterosas” Dedicatória São tantas as pessoas a quem devo este livro que não caberia aqui todos os nomes. No entanto sempre temos alguém que não dá para deixar de citar. Da minha família, creio ter alguns que não sabem ainda desta minha aspiração de ser escritor. Tenho outros que sempre me incentivaram como meu filho Atila. Este sempre que eu dava um nó no computador, dizia; Tudo que o senhor atrapalhar eu conserto, vá em frente. A filha Nalu. Anima-me e sempre tem uma palavra de conforto nas horas que mais preciso. Clenir a esposa que sempre tolera e desculpa os momentos que fica sozinha enquanto eu escrevo. Minha nora Rinara que diz: Não se preocupe, tenha as idéias, corrigir é outra história. Meu genro Wanderley Corrigiu muitos dos meus erros de português, e ainda sei que vai fazer mais. A irmã Nilcéia: Tem a palavra precisa no momento exato! A irmã Lourdes “segunda mamãe da prole”, seu marido o Pedro e seus filhos minha irmã Dulce e os filhos. Aqui uma nota: Dedico este livro com um carinho especial aos meus irmãos Cide Dario e Milton e as suas famílias. Os três se foram, mas deixaram suas marcas que sobrevivem nos filhos. Onde estiverem... Se estiverem, vocês vivem, na minha mente. À minha netinha Laura Lima Mendonça que veio trazer um novo alento na minha vida. Com todo o carinho do vovô.

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
ESTE ARAGUAIA
Autoria: Trovador das Alterosas
Ano: 2012
Tamanho: 198 KB
Formato: PDF
Sinopse:
ESTE ARAGUAIA Autor: Valdemiro Mendonça Conto: ficção Chaguei em Goiânia as vinte e três e trinta horas peguei a mala, e com meu violão às costas, meu chapéu preto, dei uma olhada no povo que estava por ali, tentando identificar meu amigo engenheiro Elói, que não via há algum tempo e que combinamos de viajar juntos para Aruana, Ele me gritou, Leão, meu nome de guerra no trecho, todos com quem trabalhei abaixo e acima de mim me conheciam como Leão. Trocamos um abraço pra matar a saudade de quase dez anos sem nos vermos, ele já começou me xingando dizendo que eu estava forte e podia voltar a trabalhar, a ideia até me atraiu, nestes dias eu estou pensando seriamente em voltar para o trecho, mas meus filhos não querem nem que eu fale nisto, mesmo assim foi o tema da nossa conversa depois que pegamos seu carro no estacionamento e ele dirigiu até o bairro que mora. Sua nova esposa Ana ainda não me conhecia, e estava às voltas com o bebê de um ano, mas me recebeu se apresentando e gentilmente me dizendo para ficar a vontade e que logo que o bebê dormisse conversaríamos um pouco. Marisa irmã de Elói que ia fazer companhia para Ana enquanto estivéssemos fora me recebeu cordialmente, já nos conhecíamos dos tempos que eu era rico... É! Quem trabalha é rico com certeza, a fama de garanhão e andarilho acabou fazendo no passado rolar um tildei entre nós, mas era um segredo guardado a sete chaves, mesmo não tendo significado nada mais do que um Love sem Love.

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
O PAPA RISO 02
Autoria: Trovador das Alterosas
Ano: 2006
Tamanho: 234 KB
Formato: PDF
Sinopse:
SEGUNDO CONTO DO MEU LIVRO “O PAPA RISO” Paródia fictícia de Lampião, o rei do cangaço Um rapaz trabalhador, cabra ordeiro, diferente dos irmãos e do pai que não eram flor para se cheirar. Morava num pequeno e pobre arraial na Bahia e era casada com Juversina morena destas que só tem no nordeste, queimada de sol, com um jeitinho abusado que só enganava seu marido homem pacato e que não fazia muita questão de saber se a água estava correndo para baixo ou subia a corredeira. Claro que existem muitas histórias sobre o lendário Trovulino, cada uma mais cavernosa do que a outra. Existem também causos cômicos, inventados pelo pessoal do campo em volta das fogueiras em noites de forró. Isto é quando se juntam para conversarem e descansar os pés do levanta poeira, que mais que uma dança, é um esporte que exige um preparo físico de dar inveja a qualquer desportista dos mais completos e capacitados. Param, contam alguns causos caboclos e voltam a dançar. VAMOS AO CONTO

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
O PAPA RISOS 04
Autoria: Trovador das Alterosas
Ano: 2007
Tamanho: 23 KB
Formato: DOCX
Sinopse:
A CRIAÇÃO DA MULHER CONTO 04 Valdemiro Mendonça Logo depois da destruição total dos recursos do planeta Marte o chefão que estava vivendo em Fobus Satélite construído por ele e seu estado maior, embarcou com uma grande frota de naves para o planeta azul que, conforme relatórios de naves enviadas como sondas mostraram as condições favoráveis à vida, na sua superfície. O inimigo, grande opressor e ex grande amigo do chefão era agora tão poderoso quanto ele. Demônio que provocara a traição dos seus exércitos, prometendo-lhes vida eterna sem passarem por provas de merecimento. Construiu também um satélite, batizando-o com o seu nome: Deimus, numa festa provocativa e cheia de pompa. Logo que descobriu o destino da frota rival, partiu também na mesma direção.

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
PAPA RISO. 03
Autoria: Trovador das Alterosas
Ano: 2007
Tamanho: 37 KB
Formato: DOCX
Sinopse:
DO MEU LIVRO: “PAPA RISOS” 03 AUTOR: VALDEMIRO MENDONÇA “TROVADOR DAS ALTEROSAS” HUMOR FICÇÃO Os nomes escritos aqui são fictícios com exceção do Sr. Manuel Xavier a quem devo um grande respeito e que já não está entre nós. A viação Pássaro Verde e Viação São Geraldo, ambas criadas em Caratinga, Pioneiras dos tempos de estradas sem asfalto, certamente participaram de histórias incríveis. No entanto embora a viagem tenha existido ela não se passou exatamente assim, e são recordações de uma cidade que ainda amo muito. A cidade é Caratinga Minas Gerais, a data mil novecentos e sessenta, o protagonista da história, um trovador irreverente que sempre teve uma vida cheia de trapalhadas e infortúnios, mas que nem liga de contar, portanto vejamos o tal causo.

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
VIAGEM A MARTE
Autoria: Trovador das Alterosas
Ano: 2013
Tamanho: 283 KB
Formato: DOC
Sinopse:
“VIAGEM A MARTE” Valdemiro Mendonça. Pequeno prefácio: A grande nave: “RIMA MESMO” parte do planeta terra levando um grupo de amigos para uma odisseia pelos cosmos onde os aventureiros embarcados tinham a esperança de finalmente poderem escrever sobre a Lua, as estrelas e planetas estando mais perto deles e de Deus. Cada membro era além de poeta um participante nas diretrizes do comando da nave e durante a jornada em duas etapas, sendo que a primeira parte era apenas até a Lua onde permaneceriam à espera da janela correta para dar inicio a grande aventura. Eles trocarão impressões sobre cada um dos participantes e eventualmente poderão escrever sobre seus companheiros e publicar no jornal de bordo. O que nos espera nesta viagem, só o tempo poderá revelar... Haverá enlaces amorosos a bordo, algum acidente colocando em perigo a vida dos viajantes, algum encontro com alienígenas, ou será uma viagem tranquila e todos regressarão a salvo? O comandante da nave viaja com uma tripulação de homens e mulheres experientes no total de doze e mais doze equipes cada uma com seu próprio comandante para várias funções na nave, a saber: “alimentação, dormitório, departamento medico, mecânica de reparos externos, de reparos internos, e todos os tipos de serviços requeridos para a viagem”. O comandante se chama Mirote, e seus comandados serão apresentados durante a jornada um abraço.

Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Site do Escritor criado por Recanto das Letras